Maria Berenice Dias

O afeto merece ser visto como uma realidade digna de tutela.

Categoria: ARTIGOS, União estável

12 anos: há o que comemorar?

Maria Berenice Dias[1]

 

 

Não bastou a Lei Maria da Penha para escancarar o crime que mais se pratica no país: a violência contra as mulheres no âmbito doméstico.

 

Foi necessário identificar como feminicídio os homicídios cometidos, em razão de sua condição feminina.

 

Os números são estarrecedores!

 

Não há dia que a imprensa não noticie o que fazem os homens pelo simples fato de não aceitarem a frase: não te quero mais!

 

As causas parecem que são muitas, mas, de fato, é uma só.

 

A cultura machista que reina em uma sociedade ainda conservadora, em que o homem acredita ser o dono da mulher. Um objeto que é seu e que não aceita que possa perder. Não aceita ser abandonado.

 

Simples assim.

 

Claro que a solução está na educação.

 

Mas o assustador é que, em nome da conservação da família, está se impedindo que nas escolas se discutam as questões de gênero.

 

Propositadamente políticos baralham sexualidade com incentivo à homossexualidade, com o único propósito de impedir que as mulheres ocupem o lugar pelo qual vêm lutando há décadas.

 

E, enquanto se tenta convencer a sociedade de que não existe igualdade de gênero, vai continuar esta absurda carnificina.

 

As mulheres estão virando mártires do preconceito que tenta se instalar no poder.

 

Algo precisa ser feito e agora:  as eleições estão chegando!

 

 

 

Publicado e 10/08/2018.

 

[1] Advogada.

image_pdf
image_print

Compartilhe nas redes sociais

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
NAVEGAÇÃO

ARTIGOS

JURISPRUDÊNCIA

VÍDEOS